Inter-Calos…

Intervalo #1:

Eu adoro quando a complexidade da vida desaparece, mesmo que por alguns instantes, você não?
O último final-de-semana foi assim… Geralmente, os dias mais aguardados por todos, sexta, sábado e domingo, são sinônimos de descanso, seja lá como for.

Eu tive a chance de conferir um showzásso na sexta, dia 12. A banda MEGAVOLTZ está apenas em seu quarto show e me extasiou com a apresentação de clássicos do LYNYRD SKYNYRD, um dos grupos de que eu mais amo, admiro e tenho indisfarçado tesão de ouvir!
Quem gosta de ROCK N ROLL sabe do que eu estou falando, e sabe que clássicos absolutos da história desse gênero musical, como SIMPLE MAN, SATURDAY NIGHT SPECIAL e FREE BIRD não são fáceis de interpretar e exigem técnica, dedicação e paixão – todos pré-requisitos preenchidos pela banda com vigor.

Por mais que seja aficcionada por música – especialmente rock n roll setentista – não é qualquer show que consegue me prender a atenção, e esses caras conseguiram!


MEGAVOLTZ em ação! (foto:divulgação do evento)

Em todos os elementos do som – as viradas apaixonadas da bateria, o teclado tocado com personalidade, os solos revezados com técnica perfeita entre as duas guitarras, o acompanhamento carismático do baixista e o vocal, que sem esforço, parece que naturalmente pertence ao estilo – eu me perdi. Ou melhor, imergi.

Problemas,dúvidas, noção de tempo, a vida lá fora se perdeu no mergulho do corpo, da adrenalina e da mente, todos juntos naquele momento.

(CALMA LÁ que isso não é propaganda da banda, no MUSICANOID não
tem jabá! Até porque isso não é propaganda, é RECONHECIMENTO. E essa é uma coluna de comportamento, e não de música. Já chegamos lá!)

Música bem tocada e interpretada, melhor show de banda cover que eu assisto em um bom tempo, garantiu o alívio que a noite pedia.

Intervalo #2:

No domingo, situação bem diferente foi assistir à última apresentação do espetáculo de dança WE CAGE, no teatro CLEON JACQUES. Utilizando a união entre novos softwares e quatro dançarinas, o espetáculo impressiona. Sensores espalhados pelo palco provocavam a interação das dançarinas com a produção de efeitos sonoros e também visuais, projetados pelas paredes e pelo chão.


WE CAGE (foto: divulgação do espetáculo)

O entrosamento da equipe técnica que coordenava os softwares e as
artistas, e o próprio entrosamento entre elas, que apresentaram
movimentação forte no palco, além do contraste dos figurinos – que iam do moderno à lúdicos vestidos coloridos de tule – com o cenário branco e vazio, somados às cenas recortadas nos telões e aos inusitados sons, criaram mais um momento de imersão.

Mesmo leigos em dança como eu se perdem, no melhor sentido da palavra em apresentações como essa, que exalam esforço e inovação.

InTer-Calo:

Dois momentos bem distintos: um show de rock n roll, que tem uma sequência de acordes, batidas e melodias harmoniosas e um espetáculo de dança que parecia girar em torno de um “caos organizado” proporcionaram tudo de bom que a boa arte é capaz: o que por uns é chamado de entretenimento e que eu chamo de perda de si mesmo, imersão no momento. Coisa rara no nosso tempo tão cheio de prazos, cobranças e cansaço tão urbanos.

Mas quando as cortinas se fecham, a música cessa e voltamos os olhos para nós, a simplicidade do fascínio da arte é substituída pelas complicações da vida, certo?

Sim, estou falando de clichês da vida pessoal.

Essa semana que passou eu soube que um amigo foi traído num relacionamento de quase dois anos; outro amigo entrou numa fase bem auto-destrutiva por causa de um namoro que acabou recentemente; o ex-namorado de uma amiga teve que perdê-la pra valorizá-la; um conhecido q vai encarar uma viagem de mochilão nas costas sem data pra voltar, não tem medo dos perigos do mundo, mas quando o assunto é envolvimento emocional, o pânico é visível.

Enquanto isso, conhecidas, em conversa de bar, chegaram à nova premissa de desistir do romance para a prática do que chamam de CPM: canalhice patológica masculina.
(Ainda afirmaram que já que o lance é joguinho emocional, se tornarão campeãs do torneio, já que estão escoladas nas des-regras do jogo).

Precisa mesmo ser complicado assim?

Será que estamos tão presos nas nossas rotinas de estudo, trabalho, família que não sobra tempo pra criar e cultivar um relacionamento?

Estamos tão modernamente fechados em nós mesmos, egoísticamente tapados que não há espaço pra mais alguém?

Claro que quem tem um pingo de observação social sabe que tem muita troca de olhar e sexo casual rolando por aí, porque a não-tão-nova-moral contemporânea nos fez aceitar que ainda somos animais com necessidades comandadas não só por interesse, mas também por instinto.

Mas nessa prática da moral moderna, que nos permite vincular e desvincular no on/off de um botão, conseguimos nos entregar ao momento com alguém como o fazemos durante um bom show de rock ou num curioso espetáculo de dança? Ainda sabemos nos re-la-cio-nar (no sentido do dicionário, veja lá) com o outro sem disfarce e sem limites, como fazemos com a arte?

Ou será que os tempos modernos nos ensinaram a amar somente a arte e a esquecer que além de animais, somos essencialmente emocionais?

Te empurro esse inter-calo, por desse calo a gente entende, e parar de pisar nele pode ser a solução. Então te convido a descomplicar e pensar, sem puritanismo, na última vez que você beijou alguem. Simples assim. Se pergunte como foi e porque você fez isso.

[…pausa pra pensar..(ou não?!)]

Se foi mera atração física, carência pura ou babaca vontade de evitar a solidão, saiba: é como estar naquele show de rock de ouvidos surdos, ou então naquele espetáculo de dança de olhos vendados…

Agora…se foi porque se somaram diante dos teus 5 sentidos o vínculo inesperado com alguém, deliciosamente físico e mental, aproveite; você tem a chance de aumentar o volume do rock n roll à potências inimagináveis e a de perceber a sutileza de cada movimento da dança, e melhor: sem ser expectador de nada, mas artista-protagonista no palco da vida…

Esse show eu recomendo 😉

E aí? Escolheu o lugar?

Advertisements

2 thoughts on “Inter-Calos…

  1. Meeeeeeuuuu….desde q li esse post, tanto tempo atrás, não resisto a vir aqui d vez em qdo p ver se vc voltou a postar!! Kd vc Musicanoid???
    Voooolta vaaaaaiii?????

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s